Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Dica Infantil’ Category

Bia, 2 anos. Parece que foi ontem

Já faz um mês e meio que comemoramos o aniversário de dois anos da Beatriz e até agora não havia conseguido compartilhar no blog um pouquinho desse momento tão especial para nossa família. Quem me acompanha sabe que moramos em Recife, mas somos cariocas e nossos familiares, amigos, vivem na cidade maravilhosa. Como é mais “difícil” deslocar as pessoas para Recife e juntos celebrarmos o aniversário da Bia, decidimos fazer essa festa no Rio de Janeiro, de modo que todos pudessem estar presentes. E como minha afilhada também faz aniversário em abril, eu e minha irmã resolvemos fazer uma festa em dose dupla, Bia completando dois aninhos e, a Giselle, quatro.

Tema: Escolhemos Angelina Ballerina por ser o desenho predileto das meninas – além da Bia adorar usar saia de tutu e a Giselle amar suas aulas de ballet, ou seja, um tema em comum!

Horário e local: Foi na casa de festas Brincadeira é coisa séria. Não é publieditorial!!! É uma excelente casa de festas em Jacarepaguá, buffet maravilhoso, muita brincadeira para as crianças, espaço amplo, recreação diferenciada… Sim, teve ponto negativo também, a começar pelo fato de eu não gostar muito da barulheira de casa de festa, dos pacotes padronizados, mas enfim, eu não teria como organizar um evento desse tipo estando longe, além de não termos um espaço disponível, o que tornaria tudo mais caro… Ah, a festa foi às 13 horas, ou seja, melhor horário para a criançada!

Convite: A arte maravilhosa foi feita novamente pela queridíssima Bianca, que já fez vários convites para mim (obrigada, amiga, prometo que vou deixar de ser cara-de-pau, viu?). Mais uma vez ela fez um excelente trabalho tanto no convite quanto nas tags utilizadas nas lembrancinhas.

 

 

Decoração: Não inventamos nada, foi tudo criação da casa de festas mesmo. Não, não está com a minha cara, cenário pesado, eu sei… Mas confesso que ficou bonitinho, é um tema novo… Só detestei o bolo fake utilizado. Os enfeites de mesa também foram os mais básicos, o da casa mesmo, pote de balas com balões.

Diversão da criançada: Os brinquedos foram a sensação da festa, principalmente a super cama elástica em que até adultos poderiam pular (confesso que tive medo, o treco sacode demais!). Tinha tatuagem em spray, teatro de fantoche, cinema 4D etc.

Detalhe do meu Gui lá no alto da cama elástica…

Entrada da casa de festas

Lembrancinhas: A vovó Sandra fez lindas sacolinhas em tecido, recheamos com doces e uma lembrança: redinha de ballet para o cabelo das meninas e bolinha para os meninos. Fez sucesso! Além disso, a casa de festas dava ao final uma camiseta grafitada com o personagem escolhido pela criança e seu nome. Muito legal!

 

Registros desse dia: Escolhemos a equipe do Imaginarte Photos para fotografar a festa e as meninas fizeram um ótimo trabalho captando todos os melhores momentos. A filmagem foi feita pelo tio Sukita, porém, ainda está sendo editada…

Retrospectiva: Minha irmã preparou um vídeo com algumas fotos selecionadas das meninas que foi exibido ao longo da festa. Pouco antes do parabéns, fizemos uma breve retrospectiva das duas, ficou lindo e, claro, emocionante!

Momento retrospectiva com as pequenas super atentas ao vídeo e, as mães, emocionadas!

A roupa das aniversariantes: Durante a festa elas usaram o mesmo vestido xadrez rosa e branco, balonê, super delicado! Na hora de cantar parabéns, elas vestiram uma linda camiseta com a idade e uma sapatilha bordadas e saia de tutu combinando. Tudo foi feito pela minha amiga Cris: blusa, saia e até a faixa de cabelo. Recomendo visitar o site da Cris, ela faz cada arte maravilhosa!

Foi uma comemoração muito especial e as aniversariantes aproveitaram cada instante. Sonhos realizados, momentos de alegria, tudo isso vale muito a pena e devem ser vividos intensamente. Obrigada, Deus!!!

Bia e sua mãe-coruja!

Primas amigas queridas, Bia e Gi

PS: Com relação à arte do convite eu NÃO tenho o mesmo disponível para alteração de dados. Quem fez tudo para mim (convite, etiquetas etc) foi a Bianca e solicito que entrem em contato diretamente com ela para orçamento de artes personalizadas: bianca.osses@gmail.com

Anúncios

Read Full Post »

Comprei dois livros para as crianças: Guerra dentro da gente, para o Guilherme, e Algum dia, para a Beatriz (e para mamãe também!). Guerra dentro da gente (Paulo Leminski, Editora Scipione) é sobre Baita, um menino pobre que quer aprender a arte da guerra e acaba entendendo que nosso maior desfio, nossos maiores adversários, estão dentro de nós. Tudo a ver com o momento e os interesses do meu pré adolescente – deixarei para escrever uma pequena resenha sobre ele tão logo o Gui termine sua leitura. Já o livro Algum dia (Alison Meghee e Peter H. Reynolds, Editora Martins Fontes) me cativou de primeira! Delicadas ilustrações, frases com as quais qualquer mãe se emociona, lindo demais. Um livro sensível que recomendo a todas as mulheres, com certeza vocês irão se identificar com as situações ilustradas, seja no papel da mãe ou da filha, resgatando doces lembranças da infância…

Deixo esse belo texto para reflexão, é a resenha do Algum dia disponível no site da Martins Fontes:

“E, quando chegar esse dia, meu amor, você se lembrará de mim”

Declarações de amor costumam ser delicadas como uma flor, mas tão resistentes como uma árvore centenária. Porque o amor real não exige contrapartida. É incondicional, portanto. O amor dispensa bela aparência, e se alimenta do próprio coração amoroso. Algum dia é uma história e uma declaração de amor. Talvez o livro que mães de várias partes do mundo escreveriam para seus filhos. Mães que sonham com o futuro, vivem o presente e guardam com delicadeza a memória dos tempos que se foram. A autora Alison McGhee, com frases curtas – mas cheias de sentimento – fala do amor de uma mãe por sua filha. Com o correr da vida entendemos que cada pessoa é singular, porém, mães amorosas são uma espécie única. Elas costumam lembrar toda noite que é preciso escovar os dentes, e fazer o dever da escola. Mas também adoram ler histórias e depois olhar a filha dormindo. Elas (as mães verdadeiramente amorosas) também têm outra coisa em comum: o tal amor incondicional. Por isso, as frases delicadas da autora em Algum dia são um passeio pela vida de mãe e filha. A primeira, sabendo, mesmo antes de acontecer, que aquela garotinha que já foi seu bebê terá muito o que viver. Vai sentir alegria e tristeza, enfrentar algumas dores e vitórias. E também irá se arriscar para que sonhos se tornem realidade. De menina será adolescente, depois mulher, e possivelmente uma mãe amorosa. E o segredo do tempo é que ele passa, mas nos dá as delícias da memória. Por isso, essa mãe do livro Algum dia nos remete a mães de todas as etnias, países, crenças. Ela carrega a memória da infância da filha – sabe que o tempo passa, mas nunca pára. Este eterno e irreversível processo pode nos levar a todos os lugares do mundo – a uma floresta escura, que é como o crescer, o que pode dar a sensação de estar perdido. Ou a delícia de balançar bem alto, uma sensação inesquecível que é também como uma comemoração, quando descobrimos que crescer pode doer um pouco, mas o ciclo da vida é compensador. Todos crescem. Por dentro e por fora. Mãe e filha de Algum dia partilham de um sonho – estar juntas acompanhando o tempo. A menina vira mulher; a mãe uma senhora. A menina enfrenta obstáculos, desfruta prazeres, fica triste, se apaixona. E um dia a menina, que já é mulher, vai embora. Porque todos têm o direito de trilhar caminho próprio, fazer escolhas. A mãe sabe que a partida não é despedida. Que seu trajeto de mãe poderá ser refeito pela filha. Ela pode ter um bebê, e, assim como sua mãe, embalar o sono e acariciar os cabelos de sua filha. E uma lei que deveria ser natural da vida (infelizmente, nem sempre é) o bebê que se tornou menina, e que se tornou mulher, vai também envelhecer. E justamente, quando chegar esse dia, ela vai se lembrar da mãe, porque terá dentro dela as memórias da infância, da meninice e da juventude. E sentir toda a intensidade do amor entre mãe e filha.

Uma boa semana para todos!

PS1: Isso não é um publieditorial!

PS2: Caiu um “dilúvio” em Recife, ficamos sem energia, depois, sem Internet… Adoro essa cidade, mas aqui tem alguns problemas estruturais com os quais eu não me adapto!

Read Full Post »

Desde o nascimento da Beatriz que eu não vou ao cinema com regularidade e, finalmente, parece que esse problema chegou ao fim: ontem teve a sessão de estreia do CineMaterna em Recife! Esse programa já existe em diversas cidades brasileiras e é conhecido por muitas mamães. O filme escolhido para a estreia no Shopping Recife foi Alice no País das Maravilhas e quero registrar minha opinião sobre esse evento.Estava lotado e os organizadores não pouparam esforços em agradar as mamães. Além de brindes (fraldas e óleo vegetal da Natura), ganhamos uma fotografia com nosso bebê. A criançada ficou realmente à vontade. Bem, eu não consegui acompanhar o filme como imaginava que conseguiria… Pensei que ao apagar as luzes a Beatriz iria sossegar e ficar quietinha no meu colo. Doce ilusão! A pequena, que tem se mostrado cada dia mais peralta, não sentou um minuto, desfilou seu nariz de palhaço por todo lado. Acredito que esse programa, para mães de bebês que já andam, só é proveitoso quando se tem um bebê anjo, o que não é o meu caso… Valeu por vê-la brincando e interagindo com as outras crianças, o grupo dos 10% que queriam mais era brincar. Sempre gostei do fato da Bia dormir sozinha no berço dela, mas nessas ocasiões, nem adianta tentar niná-la para dormir que ela fica mais estressada. O sling ajudou, só que na fase de explorar o mundo ela quer é correr e fica irritada se tento mantê-la “presa” por muito tempo. Ah, o único ponto negativo é que a sala estava bem quente, talvez por reduzirem o ar condicionador por causa das crianças. Enfim, tentarei participar de todas as sessões do CineMaterna em Recife, desejando que minha bebê fique mais calma nas próximas vezes e eu, de fato, possa ir ao cinema ver um filminho com a Bia a tiracolo.

Primeira vez da minha baixinha no cinema:Chegando, ainda quietinha no sling / Aprontando todas dentro da sala / Num raro momento em que sentamos / Na entrada, em frente ao cartaz do filme com a amiguinha Sarah, cartaz esse que a Bia quase derrubou /Foto que tirei ao chegar no cinema com a Bia

Read Full Post »

Faz parte da nossa rotina diária assistirmos, juntas, eu e a Beatriz, aos desenhos do Baby TV. E qual não foi minha surpresa quando hoje cedo, ao ligar a televisão no canal da Fox Life, descobrir que o programa simplesmente acabou. Sumiu. Procurei em todos os canais da grade da Sky e rendi-me à Internet, tentando descobrir o que aconteceu. Pelo que li, a Fox Life foi denunciada ao Ministério Público por causa do programa Baby TV. Sim, é aquela velha história de exposição excessiva e precoce das crianças à televisão… A ação tomada nesse caso foi tirar o programa do ar, isso sem nenhuma  justificativa prévia aos pais. A partir de 17 de maio o canal está todo reformulado, com uma nova grade de programação. Minha humilde opinião sobre o assunto:

Sou totalmente contra deixar a criança largada sozinha em frente à TV – ou computador, videgame etc. Ou mesmo brincando sozinha por um longo período, sem a atenção e os cuidados de um adulto por perto. No entanto, não julgo como sendo negativo que minha bebê de um ano assista a desenhos curtos, tranquilos, com música suave e divirta-se ao meu lado enquanto brinca. Prefiro esse entretenimento, comigo, do que ela sendo cuidada por uma babá, num parquinho qualquer, brincando sabe-se lá do que, com quem… Isso é aprendizado? Sei que diversas mães já presenciaram cenas lastimáveis de babás com crianças longe dos pais. Ok, temos casos e “casos”, temos aqueles excelentes cuidadores de confiança que amam os bebês de verdade, mas temos também muitas pessoas despreparadas… Minha filha também ainda não frequenta creche, de modo que esses desenhos para mim não tem caráter educativo, e sim, mero entretenimento. A Beatriz não para vendo-os do início ao fim, ela brinca, sai da sala, volta, e o desenho está rolando na televisão. O que seria pior: televisão? babá? creche? Porque eu não vivo num mundo de sonhos e não posso ficar 24 horas brincando direto com minha bebê, esses desenhos muitas vezes me ajudam quando preciso preparar o suco dela, atender um telefonema…

Também sou contra a publicidade infantil exagerada que temos hoje em diversos canais voltados para as crianças. O Baby TV não tinha nenhuma propaganda, era exibido diariamente de 8 às 11 horas, só tinha desenhos e brincadeiras voltados para bebês de 0 a 3 anos. Realmente não devia dar lucro… Se você quiser ler excelentes artigos sobre publicidade infantil, recomendo que visite o Desabafo de Mãe e o Futuro do Presente.

Encontrei esse artigo sobre a Baby TV que enumera algumas características do programa, as mesmas que me fazem acreditar que esse tipo de canal voltado para as crianças menores não é um “vilão”:

  • segmentos de duração breve (entre um e cinco minutos)
  • estimulação visual com figuras, movimentos e cores: paisagens diferentes, mar e montanhas, neve e chuva, folhas de árvores em movimento, pássaros voando, diversos animais, movimentos e peixinhos coloridos nos aquários, etc.
  • ritmo lento e calmo
  • estimulação auditiva com música suave e sons sem estridência
  • vozes com expressões carinhosas de mães e pais (não de locutores e animadores profissionais)
  • E o mais importante: é um canal livre de publicidade comercial.

Outros pontos a serem considerados que eu extraí do artigo: “As crianças protegidas pela censura muito provavelmente terminarão vendo programas desenhados para meninos com mais idade e expostos a uma estimulação visual que se considerava daninha. / Uma programação da Baby TV de boa qualidade é melhor que uma casa com carências e sem possibilidade de estimular seus bebês.”

Enfim, órfãos de Baby TV, vou me valer dos episódios que gravei e dos vídeos do You Tube. Parece até que eu estava prevendo o fato, mas como a Bia adorava alguns desenhos em especial, eu gravei alguns desses para que ela pudesse assiti-los em outro horário. Tulli, Farzzle`s World, Booby& Booba, Jammers, Baby Chef, Bolas Saltintantes, O mundo de Louie… minha pequena sentirá saudades!

PS1: A Bia também adora os DVDs da série Bebê Mais e super recomendo aos pais de crianças de 0 a 3 anos.

PS2: Dos outros canais ela curte Cocoricó, Vila Sésamo (prefere a versão 3,2,1, vamos!), abertura dos Backyardigans, Hi-5, Sid, o Cientista e Milly e Molly, os dois últimos mais pelas cores e música.

PS3: O Gui cresceu com Telletubbies e desenhos da Disney! Ele adorava…

PS4: Pelo jeito, também sumiram com o The Mom Show do Fox Life, que eu amava! Será que me fazia mal aprender um pouqinho sobre comportamento infantil, alimentação ou dicas de decoração com outras mães???

Pais que passarem por aqui: tentem obter algum retorno da Fox entrando em contato com eles. Eu consegui enviar um comentário pelo site Canal Fox. Bem, até agora não obtive nenhuma resposta, mas quem sabe se muitos questionarem essa decisão eles não voltam atrás? Não custa tentar…

Read Full Post »

Escrevi um pouco sobre a festa de 1 ano da minha princesa e agora quero compartilhar alguns detalhes que escolhi para essa data especial, bem como dar algumas indicações. Adoro todo o planejamento da festa, mesmo que eu não tenha muito jeito com esses trabalhos manuais. Gosto de buscar ideias diferentes para criar um evento único para meus filhos e, assim, naveguei bastante na Internet em busca de inspiração.

Tema: Escolhi Jardim Encantado porque a Beatriz ainda não tem personagens preferidos (quer dizer, se eu fosse procurar algo da Tulli estaria lascada!). Além disso, lembra bastante a decoração do quarto dela e os nossos passeios matinais em parquinhos.

Horário e local: Optei por fazer a festa ao ar livre, no horário em que minha pequena está bem esperta, a partir das 14 horas.

Convite: A arte maravilhosa foi feita pela querida Bianca, que já fez o convite de aniversário do Gui, o convite do chá-de-bebê da Bia e das lembrancinhas da maternidade. Pois é, sou uma amiga cara-de-pau, rs… Imprimi em etiquetas adesivas e colei como rótulo das embalagens de bolinha de sabão. Ficou lindo! Vi essa ideia no blog Feito a Mão.

Decoração: Eu não queria um Jardim com bichos enormes de espuma, painéis pesados ou dez milhões de bolas. Queria algo bem delicado, que transmitisse aconchego e leveza aos convidados, seguindo a máxima “quando o menos é mais”. E a responsável pela criação do meu sonho foi a Fabiana, que depois de diversos emails trocados conseguiu entender o que eu queria, traduzindo numa única festa diversas outras que me serviram de inspiração. Ficou lindo e o trabalho dela é excelente! O engraçado é como as pessoas não estão acostumadas com esse tipo de decoração e como alguns itens, muitas vezes grosseiros e caros, não fazem a mínima falta no conjunto. Todos elogiaram o ambiente criado, o que me deixou feliz e segura da escolha que fiz. Ok, rolou alguns balões, mas bem poucos. O principal da decoração eram borboletas de meia de seda, bolas feitas com flores, cortinas de voil, malha e muito colorido. Naveguei por dias na Internet buscando ideias criativas que traduzissem esse mundo de sonho que eu buscava.

Meus pitacos na decoração:

Potes de jujuba: Juntei diversos potes de sopa Nestlé, comprei tecidos e borboletas, imprimi etiquetas de agradecimento e minha amiga Cris encapou as tampas dos potes. Ficaram lindos!!!

Pirulitos de brigadeiro: Para que eu também participasse em algo na elaboração da festa, resolvi me meter na cozinha e fazer esses pirulitos, outra indicação ótima da Cláudia, do Feito a Mão.

Bolo: Resolvi inovar e não fazer um bolo tradicional. Escolhi uma “torre” formada por deliciosos cupcakes.

Buffet: Também contratei com a Fabiana, tudo bem farto e gostoso. Mesmo assim, eu só bebi água e comi alguns salgadinhos, quase nem parei!

Enfeites de mesa: Foram delicados potes de cerâmica com flores de tecido nas cores da festa, rosa e lilás.

Lembrancinhas: Como o tema era jardim, nada melhor do que graciosas cestas de piquenique recheadas de guloseimas e um brinde para a garotada se divertir.

Diversão da criançada: O recreador conseguiu “segurar” a turminha com brincadeiras que toda criança gosta, como pular corda, bola, gincana… Também tinha cama elástica, que agrada aos pequenos e aos maiores. Mas a sensação mesmo foi o teatro de fantoches, bem alegre. A Beatriz adorou, ria de se acabar!

A roupa da aniversariante: Escolhi um vestido florido bem fresco para o calor de Recife, com uma linda flor nos cabelos. Na hora de cantar parabéns, coloquei uma saia feita de tule, uma blusa com uma flor e sua idade bordadas e uma linda sapatilha. Já tinha visto essa ideia nos sites americanos, mas o passo-a-passo foi do Blog do Rafa e da Julia. Também foi outra confecção da Cris.

Sites maravilhosos que muito me ajudaram:

E quem quiser compartilhar outras dicas de festas infantis, fique à vontade. Porque em breve começarei o planejamento para a festa de 2 anos da Bia! Eu sempre quis ser mãe de uma menininha e poder brincar de boneca na vida real. Adoro esse movimento de aniversário e da criação como um todo, onde sonhos tornam-se realidade. Todas as festas do Gui foram feitas com o mesmo carinho, porém, convenhamos que não dá pra viajar muito em temas como Rei Leão, Dinossauros…

 

UPDATE: Muitas pessoas pedem o contato da Fabiana, responsável pelo buffet, decoração, animação, lembrancinhas etc. O email dela é mariafabianna@yahoo.com.br e seu perfil no orkut é http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=15286447869249335665

Com relação à arte do convite eu NÃO tenho o mesmo disponível para alteração de dados. Quem fez tudo para mim (convite, etiquetas etc) foi a Bianca e solicito que entrem em contato diretamente com ela para orçamento de artes personalizadas: bianca.osses@gmail.com

Read Full Post »

Domingo chuvoso em Recife, dia ideal para ficar em casa com meus amores, curtindo todas as gracinhas da caçula, brincando muito com meu filhão, revendo alguns filmes (também tem maratona Lost no AXN!) e lendo. Estou devorando Lua Nova e lembrei: há quanto tempo não escrevo sobre livros no blog! Talvez porque meu ritmo de leitura diminuiu imensamente no ano passado. Li durante a gravidez, enquanto estivemos internadas e, depois, durante a amamentação da Beatriz. Depois disso, o pouco tempo que me sobrava eu só queria dormir! Mas uma das minhas resoluções para esse ano é ler ao menos um livo por mês e, por isso, quero escrever com frequência sobre esse tema.

Li em 2009:

  • Só por amor (Mônica de Castro), escrevi sobre ele nesse post.
  • A distância entre nós (Thrity Umrigar), também já detalhado aqui.
  • Equilíbro (Flávia Mariano), que me fez relembrar muitos fatos passados em que eu tentava equilibrar minha vida profissional com a realização dos meus sonhos, vivendo sempre sem tempo e adiando o momento de ser feliz. Livro super indicado para mulheres na faixa dos 30 anos que trabalham demais, não vivem sem a tecnologia e procuram encontrar um meio termo para realizar objetivos pessoais e profissionais.
  • Os delírios de consumo de Becky Bloom; Becky Bloom, os delírios de consumo na 5a Avenida; Lembra de mim? (Sophie Kinsella). Essa coleção dispensa maiores comentários e é garantia de uma leitura leve, divertida e, com certeza, de fácil “identificação”.  Quero ler os demais títulos dessa autora ainda em 2010!
  • Crepúsculo (Stephenie Meyer), outro livro que é sucesso mundial e que não me atraía de jeito nenhum. Tá, até eu assistir ao filme e mudar de opinião… Excelente, mesmo que um tanto focado nos leitores adolescentes, a mistura de romance com o universo sobrenatural, vampiro, lobisomens, realmente prende a atenção de qualquer um! Estou terminando de ler Lua Nova e preciso comprar Eclipse e Amanhecer correndo.

Bem, a lista de livros na minha cabeceira é enorme: a coleção de As Brumas de Avalon (Marion Zimmer Bradley), só li o primeiro livro na adolescência e aproveitei umas dessas promoções excelentes para comprar os demais títulos; O menino do pijama listrado (John Boyne), depois de me emocionar com o filme eu preciso mergulhar nas entrelinhas dessa história; A outra vida de Catherine M. (Catherine Millet), foi uma cortesia da editora e, apesar de diferente dos tipos de livros que leio, pareceu bem interessante; Casais inteligentes enriquecem juntos (Gustavo Cerbasi), leitura mais do que adiada, ao mesmo tempo que é muito necessária para mim;   As vidas de Chico Xavier (Marcel Souto Maior), empréstimo de uma amiga e com certeza é uma bela história de vida de alguém que é um exemplo para todos nós. E A Encantadora de bebês nunca sai da minha pilha de livros, ainda tenho muito o que aprender! Tem de tudo um pouco na minha cabeceira, de ficção a biografias, de auto-ajuda a drama.

Além desses, quero ler: A sombra do vento (Carlos Ruiz Zafón), Baunilha e chocolate (Sveva Casati) e A mulher do viajante do tempo (Audrey Niffenegger). Alguma outra indicação? O que você tem lido e tem como sugestão para mim? 😉

PS: O Guilherme, apesar de ter lido bem menos do que eu gostaria no ano passado, está feliz por ter terminado a coleção do Zac Power. Tem alguns livros na cabeceira do meu pré-adolescente, junto com Legos, aviões e sucatas, e pretendo escrever sobre eles assim que ele ler – e opinar! Ganhamos Os 7 hábitos das crianças felizes (Sean Covey) e ele adorou, será o primeiro livro que escreverei a resenha aqui no blog.

Read Full Post »

Todo dia de manhã a Beatriz fica brincando e espiando o programa Baby TV, da Fox Life. E ela ama o desenho Tulli, vejam que gracinha:

Já o Guilherme levou a paixão dos Legos do concreto para o virtual nessas férias: passa horas brincando no Lego Digital Designer. Fica a dica para a criançada!

Read Full Post »

Older Posts »