Feeds:
Posts
Comentários

Uma pequena pausa

Então se passaram quase três meses e eu desapareci daqui. Saudade de ter um tempinho para escrever, desabafar um pouco, rir das lembranças… Pensei muito em excluir o blog, mas não o farei porque nele tenho diversos registros especiais e também porque através desse espaço fiz amizades com as quais não gostaria de perder o contato. Porém, minhas postagens serão esporádicas, sem cobranças da minha parte. Nesse período em que estive ausente muito aconteceu, coisas boas, outras, nem tanto. Completei 35 primaveras, aproveitamos as férias das crianças com muita chuva, recebemos a visita dos meus sogros em Recife, viajamos para um hotel-fazenda em Gravatá, completamos bodas de renda, viajamos para a casa da minha mãe e encontramos com minha irmã também por lá, Bia foi desfraldada, teve criança doente, criança aprontando todas, mãe descabelada, mãe coruja mega-feliz, mãe sem tempo etc etc. O principal foi que, nesse período, comecei a direcionar minha vida para o que de fato quero e voltei a estudar. Como isso está me fazendo bem!Eu nem imaginava o quanto sentia falta dessa rotina, dos livros, do contato com pessoas diferentes, de aprender… Sei que é um projeto de longo prazo, preciso me dedicar e, por isso, o tempo que me resta tem sido de muito estudo. Agradeço a experiência de escrever no Blog da Evellyn e de receber tantas visitas amigas, mas estou encerrando um ciclo nesse momento porque preciso focar em um objetivo maior. Obrigada pela amizade de vocês, de verdade! E que saibamos sempre aproveitar todos os momentos da vida e as oportunidades que ela nos concede para nossa evolução!!! Um dia eu volto e com muitas novidades.

Viva São João!!!

Saudades daqui, de escrever, ler, comentar nos blogs… O tempo voa, não consigo fazer um décimo a que me proponho no dia. Bia está praticamente de férias, Gui começará as semanas de provas e, nesse início de feriadão, passei para desejar um São João animado para vocês! Morando em Recife há quase cinco anos (uau, não disse que o tempo voa?) já entrei no ritmo dos festejos juninos, o clima muda, a alegria invade a cidade, realmente, o nordeste tem essa magia. Adoro!!! E, com uma pernambucana em casa, que nasceu na terra do frevo, adora o som da quadrilha e é fã de cuscuz e tapioca, agradeço a oportunidade de morar em um lugar tão especial, que preza sua cultura e tradições.

Bom São João para vocês!!!

Bia dançando na festa do clube

Aproveitando a festa promovida pela escola: adorou a fazendinha, dançou com seu pandeiro e brincou muito com seus amigos. Foi excelente!

PS: Estou buscando ideias para divertir as crianças nessas férias tãoooooo longas, com tempo frio e ainda sem viajar. Teatrinho? Parque? Cinema? Shopping não aguento mais… Queria descobrir uma colônia de férias bem legal por aqui… Isso sem considerar a diferença de interesses de uma menina de 2 anos e um adolescente de 12. Oh, céus, preciso de criatividade!!!

Bia, 2 anos. Parece que foi ontem

Já faz um mês e meio que comemoramos o aniversário de dois anos da Beatriz e até agora não havia conseguido compartilhar no blog um pouquinho desse momento tão especial para nossa família. Quem me acompanha sabe que moramos em Recife, mas somos cariocas e nossos familiares, amigos, vivem na cidade maravilhosa. Como é mais “difícil” deslocar as pessoas para Recife e juntos celebrarmos o aniversário da Bia, decidimos fazer essa festa no Rio de Janeiro, de modo que todos pudessem estar presentes. E como minha afilhada também faz aniversário em abril, eu e minha irmã resolvemos fazer uma festa em dose dupla, Bia completando dois aninhos e, a Giselle, quatro.

Tema: Escolhemos Angelina Ballerina por ser o desenho predileto das meninas – além da Bia adorar usar saia de tutu e a Giselle amar suas aulas de ballet, ou seja, um tema em comum!

Horário e local: Foi na casa de festas Brincadeira é coisa séria. Não é publieditorial!!! É uma excelente casa de festas em Jacarepaguá, buffet maravilhoso, muita brincadeira para as crianças, espaço amplo, recreação diferenciada… Sim, teve ponto negativo também, a começar pelo fato de eu não gostar muito da barulheira de casa de festa, dos pacotes padronizados, mas enfim, eu não teria como organizar um evento desse tipo estando longe, além de não termos um espaço disponível, o que tornaria tudo mais caro… Ah, a festa foi às 13 horas, ou seja, melhor horário para a criançada!

Convite: A arte maravilhosa foi feita novamente pela queridíssima Bianca, que já fez vários convites para mim (obrigada, amiga, prometo que vou deixar de ser cara-de-pau, viu?). Mais uma vez ela fez um excelente trabalho tanto no convite quanto nas tags utilizadas nas lembrancinhas.

 

 

Decoração: Não inventamos nada, foi tudo criação da casa de festas mesmo. Não, não está com a minha cara, cenário pesado, eu sei… Mas confesso que ficou bonitinho, é um tema novo… Só detestei o bolo fake utilizado. Os enfeites de mesa também foram os mais básicos, o da casa mesmo, pote de balas com balões.

Diversão da criançada: Os brinquedos foram a sensação da festa, principalmente a super cama elástica em que até adultos poderiam pular (confesso que tive medo, o treco sacode demais!). Tinha tatuagem em spray, teatro de fantoche, cinema 4D etc.

Detalhe do meu Gui lá no alto da cama elástica…

Entrada da casa de festas

Lembrancinhas: A vovó Sandra fez lindas sacolinhas em tecido, recheamos com doces e uma lembrança: redinha de ballet para o cabelo das meninas e bolinha para os meninos. Fez sucesso! Além disso, a casa de festas dava ao final uma camiseta grafitada com o personagem escolhido pela criança e seu nome. Muito legal!

 

Registros desse dia: Escolhemos a equipe do Imaginarte Photos para fotografar a festa e as meninas fizeram um ótimo trabalho captando todos os melhores momentos. A filmagem foi feita pelo tio Sukita, porém, ainda está sendo editada…

Retrospectiva: Minha irmã preparou um vídeo com algumas fotos selecionadas das meninas que foi exibido ao longo da festa. Pouco antes do parabéns, fizemos uma breve retrospectiva das duas, ficou lindo e, claro, emocionante!

Momento retrospectiva com as pequenas super atentas ao vídeo e, as mães, emocionadas!

A roupa das aniversariantes: Durante a festa elas usaram o mesmo vestido xadrez rosa e branco, balonê, super delicado! Na hora de cantar parabéns, elas vestiram uma linda camiseta com a idade e uma sapatilha bordadas e saia de tutu combinando. Tudo foi feito pela minha amiga Cris: blusa, saia e até a faixa de cabelo. Recomendo visitar o site da Cris, ela faz cada arte maravilhosa!

Foi uma comemoração muito especial e as aniversariantes aproveitaram cada instante. Sonhos realizados, momentos de alegria, tudo isso vale muito a pena e devem ser vividos intensamente. Obrigada, Deus!!!

Bia e sua mãe-coruja!

Primas amigas queridas, Bia e Gi

PS: Com relação à arte do convite eu NÃO tenho o mesmo disponível para alteração de dados. Quem fez tudo para mim (convite, etiquetas etc) foi a Bianca e solicito que entrem em contato diretamente com ela para orçamento de artes personalizadas: bianca.osses@gmail.com

Mamaço

Você que é mãe e antenada, sabe que está acontecendo o mamaço real/virtual. Tudo porque uma mãe foi impedida de amamentar em uma exposição do Itaú Cultural (entenda mais sobre o caso aqui). Minha pequena participação nesse movimento são algumas fotos amamentando a Beatriz. Confesso que fiquei com MUITA saudade desse momento tão mágico!

Primeira mamada da Bia, ainda na UTI Neonatal. Prematura, com 33 semanas, não teve dificuldades para mamar, graças a Deus!

Já em casa, com um mês de vida.

5 meses de pura fofura!

Esse é o único olhar com quem nós, mães, devemos nos preocupar…

O mês de abril foi um tremendo furacão na minha vida. Foi bom, ou melhor, foi ótimo (e muito agitado!). Resolvi comemorar o aniversário da minha pequena no Rio de Janeiro, em uma festa dose dupla com a priminha – tem noção do que é isso, a pessoa morando em outro estado??? Mas valeu todo o planejamento, organização e ansiedade, nossas bailarinas curtiram demais a festa. Aproveitamos e passamos uma semana na cidade maravilhosa, delícia! Daí que sou louca de pedra, adoro uma festa e… resolvi organizar um lanche para as amigas da Bia na nossa casa, em Recife. O dia do aniversário dela caiu no domingo de Páscoa, perfeito para um lanche com muito chocolate, marrom, rosa… Ficou lindo! E, por fim, teve a festa dos aniversariantes do mês na escola. Depois dessa maratona, não quero ouvir falar em festa pelo menos até o ano que vem!!!!

Bem, esse foi o motivo da minha ausência. O outro ponto que tem me incomodado é que não sinto mais tanta necessidade em escrever no blog. E como detesto fazer algo por obrigação, aparecerei vez ou outra, com algum texto para compartilhar, dica infantil, whatever! Recebo muitas visitas por dia, média de 1.500, apenas alguns comentários e me pergunto quem passa por aqui? O que gostaria de ler? Percebo que muitos chegam através dos assuntos relacionados a maternidade e a festa infantil, que bom, mas deixe sugestões, comente! Quero ouvir sua opinião também.

Então se você é da turma atrás de dicas para festa infantil, aguarde os próximos posts sobre o tema Angelina Ballerina e chá da tarde marrom e rosa. Por que eu não quero ouvir sobre festa até 2012, mas quero falar aos quatro cantos, rs…

PS: Tenho comentários sem resposta desde janeiro… Essa sou eu! Mas consegui responder a quase todos!!! E chove em Recife nesse exato momento…

Texto verdadeiro e muito bem redigido por algumas mães do grupo Futuro do Presente. Faço minha pequena parte ao compartilhá-los com vocês e peço que também o divulguem aos seus contatos. Afinal, quem não deseja um mundo melhor para nossos filhos?

 

Que futuro terão nossos filhos?

Aproveitamos o sentimento de indignação e tristeza que nos abalou nos últimos dias para convoca-los para uma mobilização pelo futuro das nossas crianças. A tragédia absurda ocorrida na escola em Realengo (Rio de Janeiro) é resultado de uma estrutura complexa que tem regido nossa vida em sociedade. O problema vai muito além de um sujeito qualquer decidir invadir uma escola e atirar em crianças. Armas não nascem em árvores.

A coisa está feia: choramos por essas crianças, mas não podemos nos deixar abater pelo medo, nem nos submeter aos valores deturpados que têm regido nossa sociedade propiciando esse tipo de crime. Não vamos apenas chorar e reclamar: vamos assumir nossa responsabilidade, refletir, trocar ideias e compartilhar planos de ação por um futuro melhor. Então, mães e pais, como realizar uma revolução que seja capaz de mudar esses valores sociais inadequados?

Vamos agir, fazer barulho, promover mudanças! Acreditamos na mudança a longo prazo. Precisamos começar a investir nas novas gerações: a esperança está na infância. Vamos fazer nossa parte: ensinar nossos filhos pra que façam a deles.

Se desejamos alcançar uma paz real no mundo,

temos de começar pelas crianças. Gandhi

O que estamos fazendo com a infância de nossas crianças?

Com frequência pais e mães passam o dia longe dos filhos porque precisam trabalhar para manter a dinâmica do consumo desenfreado. Terceirizam os cuidados e a educação deles a pessoas cujos valores pessoais pensam conhecer e que não são os valores familiares. Acabamos dedicando pouco tempo de qualidade, quando eles mais precisam da convivência familiar. Assim, como é possível orientar, entender, detectar e reverter tanta influência externa a que estão expostos na nossa longa ausência? Estamos educando ou estamos nos enganando?

O que vemos hoje são crianças massacradas e hiperestimuladas a serem adultos competitivos desde a pré-escola. Estão constantemente expostos à padronização, competição, preconceito, discriminação, humilhação, bullying, violência, erotização precoce, consumo desenfreado, culto ao corpo, etc.

O estímulo ao consumo desenfreado é uma das maiores causas da insatisfação compulsiva de nossa sociedade e de tantos casos de depressão e episódios de violência. Daí o desejo de consumo ser a maior causa de crime entre jovens. O ter superou o ser. Isso porque a aparência é mais importante do que o caráter. Precisamos ensinar nossos filhos que a felicidade não está no que possuímos, mas no que somos. Afinal, somos o exemplo e eles repetem tudo o que fazemos e o modo como nos comportamos. E o que ensinamos a nossos filhos sobre o consumo? Como nos comportamos como consumidores? Onde levamos nossos filhos para passear com mais frequência? Em shoppings?

Quanto tempo nossos filhos passam na frente da TV? 10 desenhos por dia são 5 horas em frente à TV sentados, sem se movimentar, sem se exercitar, sendo bombardeados por mensagens nem sempre educativas e por publicidade mentirosa que incentiva o consumo desde cedo, inclusive de alimentos nada saudáveis. Mais tempo do que passam na escola ou mesmo conosco que somos seus pais!

Porque os brinquedos voltados para os meninos são geralmente incentivadores do comportamento violento como armas, guerras, monstros, luta? A masculinidade devia ser representada pela violência? Será que isso não contribui para a banalização da violência desde a infância? Quando o atirador entrou na escola com armas em punho, as crianças acharam que ele estava brincando.

Nós cidadãos precisamos apoiar ações em que acreditamos e cobrar do Estado sua implementação, como o controle de armas, segurança nas escolas, mudança na legislação penal, etc. Mas acima de qualquer coisa precisamos de pessoas melhores. Isso inclui educação formal e apoio emocional desde a infância. É hora de pensar nos filhos que queremos deixar para o mundo, para que eles possam começar a vida fazendo seu melhor. Criança precisa brincar para se desenvolver de forma sadia. É na brincadeira que elas se descobrem como indivíduos e aprendem a se relacionar com o mundo.

Nós pais precisamos dedicar mais tempo de convivência com nossos filhos e estar atentos aos sinais que mostram se estão indo bem ou não. Colocamos os filhos no mundo e somos responsáveis por eles! Eles precisam se sentir amados e amparados. Vamos orientá-los para que eles sejam médicos por amor não por status, que sejam políticos para melhorar a sociedade não por poder, funcionários públicos por competência e não pela estabilidade, juízes justos, advogados e jornalistas comprometidos com a verdade e a ética, enfim!

Precisamos cobrar mais responsabilidade das escolas que precisam se preocupar mais em educar de verdade e para um futuro de paz. Chega de escolas que tratam alunos como clientes.

Não temos mais tempo a perder. Ou todos nós, cedo ou tarde, faremos parte da estatística da violência. Convidamos todos a começar hoje. Sabemos que não é fácil. E alguma coisa nessa vida é? Vamos olhar com mais atenção para nossos filhos, vamos ser pais mais presentes, vamos cobrar mais da sociedade que nos ajude a preparar crianças melhores para um mundo melhor!

Nossa proposta aqui é de união e ação para promover uma verdadeira mudança social. A mudança do medo para o AMOR, do individualismo para a FRATERNIDADE e para a EMPATIA, da violência para a GENTILEZA e a PAZ.

Ana Cláudia Bessa www.futurodopresente.com.br

Cristiane Iannacconi www.ciclicca.blogspot.com

Letícia Dawahri http://sorrisosdaalma.blogspot.com

Monique Futscher www.mimirabolantes.blogspot.com

Renata Matteoni www.rematteoni.wordpress.com

Se você gostou do conteúdo e quer se juntar à nós, publique esta carta agora em seu blog e vamos todos juntos mostrar que queremos uma sociedade melhor e que estamos prontos para o desafio de criar pessoas melhores.

Não tem blog? Mande a carta por e-mail aos amigos, dissemine esta idéia.

Além disso, vamos imprimir e levar para a escola de nossos filhos para conseguir que ela seja distribuída nas agendas  aos outros pais. Vamos agir, vamos movimentar a sociedade. Vamos mostrar a importância que a presença dos pais tem na vida das crianças, futuros cidadãos.

A experiência mais marcante da minha vida foi o nascimento dos meus filhos, cada um modificou-me de uma maneira diferente. Com o Gui, nasci para a maternidade. Já com a pequena Bia, aprendi que não posso controlar tudo como tanto desejo. Beatriz nasceu com 33 semanas, numa cesárea de emergência, daquelas que às 20 horas descobri que não tinha mais líquido amniótico e à meia-noite entrava no centro cirúrgico, notando a apreensão no rosto dos médicos, a conversa reservada do obstetra com meu marido… Enfim, digo que nesse parto eu não me emocionei e sim fiquei muito, muito tensa, infelizmente. Ninguém se prepara para ver um filho nascer antes da hora. E meu sonho de parto normal? Foi por água abaixo com a delicadeza da resposta: mãe, sua bebê pode não resistir…

Por que estou escrevendo sobre isso agora? Minha bebezinha, que nasceu com 1.890 kg e precisou ficar 11 dias internada para ganhar peso, vai completar 2 anos. Rápido? Demais!!! É clichê, mas o tempo voa mesmo… Hoje ela nem de longe lembra o pequeno cristal frágil que foi, é sapeca, levada, fofa, meu chiclete – e conserva a inquietude e a pressa em viver tudo possível, rs. Por isso, ao ler essa carta de um prematuro no blog Pequenos Guerreiros, não pude deixar de me emocionar.

Deus, obrigada por tudo! Continue olhando por nós e abençoe imensamente os pequeninos que agora estão em UTI neonatal, bem como suas famílias.

Carta de um prematuro a seus pais - tradução de Carta de un prematuro a sus padres – Argentina

A meus pais,

Para todos sou um prematuro porque nasci antes do tempo.

Prematuro, como se fosse algo ruim…

Muitos me olham com apreensão, outros com pena e compaixão e alguns até com curiosidade.

Mas eu queria dizer a vocês, meu pais, que por favor me olhem como a um filho.

Não temam fazê-lo.

Nascer antes do tempo não é culpa de ninguém, e para amar e ser amado não é necessário ser grande.

É claro que me falta ser mais maduro e até então necessito dos outros, especialmente de meus médicos e enfermeiros.

Mas a vocês, meus pais, posso vê-los e senti-los.

Preciso muito de seu carinho, tenho certeza que vocês também do meu.

Por que não pensar o quão sortudos fomos de poder nos vermos antes da hora?

É bom nascer já grande mas se estamos juntos da mesma maneira, não é tão ruim pesar pouco e ser prematuro.

(Extraído do prólogo do Guia para Padres de Prematuros)

Beatriz, 1 ano e 11 meses

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 32 outros seguidores